Assis Chateaubriand, sábado, 31 de outubro de 2020 ESCOLHA SUA CIDADE

Mundo

03/09/2020 | Concebido por Goioerê

Homem negro morre após ser encapuzado por policiais nos EUA

Homem negro morre após ser encapuzado por policiais nos EUA

Em mais um vídeo chocante de uma abordagem policial contra pessoas negras nos Estados Unidos, um homem negro morre após agentes colocarem um capuz na cabeça dele em uma ação na cidade de Rochester, no estado de Nova York.

A vítima trata-se de Daniel Prude, 30 anos, e segundo a família informou nesta quarta-feira (02), data que as imagens foram tornadas públicas, a abordagem ocorreu no dia 23 de março. O irmão do homem, Joe Prude, disse que chamou os policiais porque Daniel estava desorientado e precisava de ajuda.

"Eu só pedi ajuda. Eu não pedi para ele ser linchado", acrescentou.

No vídeo divulgado, Prude aparece já algemado, sentado no chão, e obedecendo as ordens. O estado mental estava visivelmente alterado, já que o homem estava nu em um dia extremamente frio - é possível ver uma leve neve caindo no momento da ação.

Então, um dos policiais cobre a cabeça do rapaz com um capuz, em um tipo de abordagem que tem sido comum para evitar que a saliva do detido atinja os policiais - por conta da pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2). A partir daí, Prude começa a pedir que tirem o capuz, mas os policiais o mantém de rosto para o chão por cerca de dois minutos e um dos agentes põe o joelho nas costas do homem.

Quando o homem começa a gritar e a se debater, os agentes ficam preocupados e percebem que está saindo água da boca do homem.

Nesse momento, os policiais tiram as algemas e o capuz e permitem que um médico avalie Prude. Pouco depois, socorristas tentam reanimá-lo e o colocam em uma ambulância.

De acordo com a família, o homem morreu no hospital sete dias depois da abordagem. O médico legal informou que o óbito foi causado por "complicações causadas por asfixia" e que a intoxicação por fenciclidina foi um dos fatores que contribuíram também para a morte.

O estado de Nova York informou que os agentes que participaram da ação estão sendo investigados.

O caso é mais um a causar polêmica sobre a forma como a polícia norte-americana aborda pessoas negras. A notícia surge pouco mais de duas semanas após um outro homem negro, Jacob Blake, ser atingido por sete tiros à queima-roupa enquanto tentava entrar em seu carro após apartar uma briga entre duas mulheres na calçada.

Desde 25 de maio, dia em que a morte de outro homem negro, George Floyd, tornou-se pública, o país enfrenta protestos e manifestações diárias por todos os estados pedindo por justiça e equidade racial.

 

PUBLICIDADE

Fonte: GOIOERÊ | CIDADE PORTAL | TERRA

OPINE!

CIDADE PORTAL
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso.

Desenvolvido por Cidade Portal